Header Ads

"Vade Retro" chega esta quinta-feira a Portugal


Vade Retro é a nova série de comédia da Globo Premium, que estreia esta quinta-feira, dia 27 de abril, às 20h55. Assinada por Alexandre Machado e Fernanda Young, Vadre Retro surge como uma comédia entre o bem e o mal, que levanta questões éticas inerentes a todo ser humano.

A vida de Celeste (Monica Iozzi), uma doce e ingénua advogada, andava pacata e tranquila até Abel Zebu (Tony Ramos), um empresário milionário, misterioso e sem escrúpulos, cruzar o seu caminho. Cheio de segundas – e terceiras – intenções, aquele que aparenta ser a própria encarnação do mal vai fazer de tudo para corromper Celeste, mesmo com as tentativas da advogada de resistir aos seus encantos. 

Com um namoro morno com Davi (Juliano Cazarré), uma carreira estagnada e uma vida sem grandes emoções, Celeste torna-se o alvo ideal para Abel Zebu, um homem que não tem freios na língua, nem nas suas atitudes, fazendo de tudo para conseguir o que quer. Sem saber ao certo onde está a meter-se, a advogada tenta resistir aos encantos e ao poder deste homem, ao mesmo tempo que  sente-se atraída por tudo o que ele tem para oferecer.


Enquanto tenta impressionar o único cliente do escritório, amigos e familiares de Celeste fazem-na passar por apuros hilariantes. É o caso, por exemplo, da sua mãe Leda (Cecília Homem de Mello) que, com toda a sua devoção religiosa tem conhecimentos para afastar qualquer coisa má do caminho, mas ainda não consegue usar um microondas, além de ter habilidade zero para manter segredos. E embora irritado com a presença da sogra na casa da namorada, Davi encontra nela uma aliada para provar que Abel é muito mais do que um sujeito sem ética que está a tentar esconder outra personalidade. 

Para Monica Iozzi, entre as principais características da Celeste está a forma como as pessoas poderão facilmente identificar-se com ela. “Isso é que o Celeste tem de mais bonito. Afinal, quem nunca se sentiu tentada, seduzida por algo? A Celeste não desconfia das pessoas e eu também tenho um pouco disso”, revela a atriz. Já Tony Ramos, responsável por dar vida ao homem de tantos mistérios, artimanhas e caráter pra lá de duvidoso, comenta: “Sou um homem muito religioso, nunca me atemorizou falar do diabo. Temos que falar sobre tolerância, liberdade de expressão e gêneros”.

Pontuada por um tom sarcástico, ácido e bem-humorado, a série, que resulta de uma co-produção da Globo com a O2 Filmes, é contemporânea e tem inspirações cinematográficas. “Usamos muito da técnica do Stanley Kubrick de one point perspective view, em que centralizamos os personagens para dar a impressão de que existe uma atmosfera de suspense em volta. Esta é uma comédia mesmo, os personagens vão morrer de medo em cena, mas, no fim das contas, é patético e engraçado”, diz Mauro Mendonça Filho, director artístico de Vade Retro.

Sem comentários