Header Ads

Duplo Clique | "DivertidaMente - Ode à Parvoíce"


Com tantos jogadores no palco, uma sonoplastia de gargalhadas forçadas e famosos com ar incrédulo no meio de um caos televisivo, DivertidaMente acaba facilmente por perder o controlo do que está a acontecer. 

Um palco, quatro concorrentes profundamente hipnotizados por um hipnotizador, um apresentador e público a assistir, são estes os ingredientes do novo programa de domingo à noite da SIC, DivertidaMente, estreado a 11 de março. Este programa é provavelmente inédito por usar a hipnotização desta forma, e com tantas pessoas ao mesmo tempo, num formato televisivo dos canais generalistas. Mas é também surreal por mostrar concorrentes em situações tão disparatadas, e em que a linha que separa a diversão e o ridículo (para quem as vê) se torna ténue e perigosa. 

O espanhol Jose Tejada, com experiência nos programas emitidos no Reino Unido, Austrália e EUA, cumpre a função com mestria, ou não conseguisse colocar todos os concorrentes a dormir com meia-dúzia de palavras e estalar de dedos, após uma sessão de hipnotização. Este é o primeiro e único ponto que torna o programa da SIC uma inovação na programação, tratando-se de um concurso em que os concorrentes têm de resolver desafios enquanto hipnotizados, para ganhar dinheiro. Claro que, para complicar tudo, são induzidos a seguir ordens que lhes irão dificultar a execução das tarefas.


O resultado é um espetáculo televisivo tão surreal que é capaz de arrancar queixos caídos à audiência. Primeiro, pelo facto de os concorrentes executarem de forma automática as ordens mais aleatórias (prova do aparente poder da hipnotização); e depois, pelo facto de tudo isso parecer desprovido de qualquer sentido para quem faz e para assiste. No fundo, é um programa onde os concorrentes fazem coisas que nunca pensariam fazer em privado, em público ou muito menos na televisão, e que cria condições para outras se rirem disso. 

Além do mais, com tantos jogadores no palco, uma sonoplastia de gargalhadas forçadas e famosos com ar incrédulo no meio de um caos televisivo, DivertidaMente acaba facilmente por perder o controlo do que está a acontecer. Mas João Manzarra “assenta que nem uma luva” na engrenagem, sendo conhecido o seu talento para a paródia e experiência a interagir com anónimos em situações caricatas. 

Apenas um milhão e 134 mil pessoas viram a estreia de DivertidaMente, o que a somar à chuva de comentários negativos que inundou as redes sociais pode indiciar que estamos perante mais um fracasso do canal. Claro que o formato poderá ser sinónimo de uma noite de domingo muito divertida para muitos telespetadores. Para a maioria, porém, provavelmente não passará de mais um reflexo dos tempos em que vivemos, “hipnotizados” por parvoíces. 

DivertidaMente, ao domingo à noite, na SIC. 
Duplo Clique - 97ª Edição
Por André Rosa

Sem comentários