Header Ads

"IndieLisboa". 15ª edição do festival de cinema decorre de 26 de abril a 6 de maio


O IndieLisboa está de volta para a sua 15ª edição. De 26 de abril a 6 de maio, o festival volta a ocupar várias salas da capital, com a exibição de uma seleção de filmes que promete ser "plural e atual".

Este ano, na categoria de Herói Independente, secção que homenagea figuras cuja obra tenha contribuído de forma significativa para o enriquecimento do cinema contemporâneo, concorrem Lucrecia Martel e Jacques Rozier.

O festival conta com 21 filmes portugueses, que integram a seleção da Competição Nacional. Bostofrio, où le ciel rejoint la terre, de Paulo Carneiro, é uma viagem documental onde o próprio realizador procura saber quem era, e como era, o seu avô. Já a longa-metragem Tempo Comum, de Susana Nobre, mescla cinema e realidade, retratando intimamente um momento marcante na vida de um casal, o nascimento da sua primeira filha.

Em Our Madness, João Viana prossegue o trabalho da sua primeira longa metragem, A Batalha de Tabatô. Agora, o realizador acompanha Ernania na sua deriva espectral por Moçambique à procura do seu marido e filho. Sandro Aguilar volta ao IndieLisboa com Mariphasa, uma história que volta a ser prova da excelência do seu cinema intrigante com laivos de ficção-científica.  André Gil Mata estreia-se na longa metragem de ficção com A Árvore.

No que toca a curtas metragens de produção portuguesa, fazem parte da seleção filmes como Num País Estrangeiro, de Miguel Seabra Lopes e Karen Akerman, The Great Attractor, de Rita Figueiredo, Histórias de Fantasmas, de Carlos Pereira, Fortuna de Miguel Tavares, Os Mortos, de Gonçalo Robalo ou Mapa-esquisito, de Jorge Vaz Gomes, entre outros.

Self Destructive Boys, de André Santos e Marco Leão, Anjo, de Miguel Nunes, Amor, Avenidas Novas, de Duarte Coimbra, Russa, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., Sleepwalk, de Filipe Melo, A Barriga de Mariana, de Frederico Mesquita, Instruções Para Uma Revolução, de Tiago Rosa-Rosso, Via, de Maria Ferreira e War of the Worlds, de Manuel Brito são outros dos filmes em exibição.

Este ano terá também lugar um filme-concerto da autoria do músico John Parish, Screenplay. Parish apresenta-se pela primeira vez em Portugal. A exibição terá lugar no Hard Club, no Porto, a 3 de maio, pelas 21:30h e em Lisboa, no Grande Auditório da Culturgest, no dia 4 de maio, à mesma hora, integrado na programação do IndieLisboa. O preço do bilhete é de 15€.

O IndieJunior, o enorme mini-festival para crianças e jovens, tem uma programação adaptadas a todas as idades: pré-escolar (+3 anos); 1º ciclo (+6 anos), 2º ciclo (+9 anos) e 3º ciclo (+12 anos). Os filmes de animação, ficção e documentário são escolhidos de forma a corresponderem aos interesses e problemáticas de cada faixa etária, com o objetivo de estabelecer uma relação de comunicação entre a obra e o aluno, abrindo espaço para o debate e reflexão na escola, em casa e na vida.

Sem comentários