Header Ads

Duplo Clique | "Talentos Fora de Série"


Os Extraordinários tem capacidade para surpreender efetivamente o público em casa, lavando-o a suster a respiração ou a fazer figas pelo sucesso dos concorrentes, mas esse pico de emoção não parece duradouro. 

Um “GPS humano”, um “descodificador de ritmo”, um “génio do Globo” e uma rapariga capaz de executar “o movimento preciso”, foram estas as quatro grandes estrelas da estreia de Os Extraordinários, a nova aposta da RTP para o horário nobre de domingo. Mais de 811 mil espetadores quiseram ver as habilidades dos concorrentes ditos “extraordinários”, a proposta é interessante, mas fica-se por aí. 

Há qualquer coisa que falha no novo programa apresentado por Sílvia Alberto que o torna uma hora e meia pouco estimulante: a falta de ritmo, de emoção ou de música. No geral, em Os Extraordinários tudo funciona como é suposto, da apresentação entregue a Sílvia Alberto – sempre competente, divertida e de presença elegante – ao painel de jurados funcional e eclético.
 

Um dos pontos positivos é o enquadramento técnico e especializado que a mental coach Susana Torres, o médico João Ramos e a neurocientista Luísa Lopes dão a cada uma das provas, explicando ao espetador um pouco daquilo que acabou de ver ou vai ver a seguir. É uma dimensão mais científica que enriquece as provas e o programa em geral. 

Os Extraordinários é mais um talent-show, mas não é um qualquer. Valoriza novos talentos e habilidades pouco (ou nunca antes) vistas na televisão portuguesa e propõe um entretenimento familiar e diferente que baste. É, assim, uma alternativa à procura do “melhor” cantor ou bailarino de Portugal, num país que parece não perceber que é demasiado pequeno para receber tantos novos talentos made in televisão. 
 

O formato tem capacidade para surpreender efetivamente o público em casa, lavando-o a suster a respiração ou a fazer figas pelo sucesso dos concorrentes, mas esse pico de emoção não parece duradouro. 

A adaptação portuguesa do original The Brain, produzido na China e transmitido originalmente na Alemanha em 2011, vai continuar a desafiar os concorrentes mais dotados em provas mentais e físicas aparentemente impossíveis. A RTP sabe que este é um caminho pouco trilhado, por isso encomendou apenas seis episódios. Os portugueses dirão se esta nova aposta foi de facto “extraordinária”, ou apenas uma faísca em pólvora seca. 

Os Extraordinários, para ver na RTP, aos domingos, às 21h30.

Duplo Clique - 88ª Edição
Por André Rosa

Sem comentários