Header Ads

test

Vale do Fim | Capítulo 35 (Parte 2)

 
Também disponível no Wattpad em http://goo.gl/uVVbsb 

Capítulo 35 (Parte 2) - A Partida

Adão olhava para o céu estrelado, com a sua mão por baixo do pescoço de Luna. Olhou para ela e viu que acabara por adormecer. Olhou para a lua e mergulhou nos seus pensamentos.
Estava feliz. Não sabia o que tinha acontecido, mas tinha uma ideia do que tinha sido. Sexo. Ele nunca tinha visto nada sobre o assunto, mas ouvia Miguel falar, ouvia mesmo o rapaz falar muito sobre isso. Embora Adão se tivesse desenvolvido muito rapidamente e aparentasse ter cerca de dezasseis anos, ele apenas tinha dez. Talvez ter estado sempre sozinho quase toda a sua vida o tivesse tornado mais atrasado em relação àqueles assuntos, talvez se tivesse convivido com pessoas os seus desejos e impulsos fossem diferentes. Ele não sabia se isso aconteceria.
O que ele sabia naquele momento é que estava feliz, feliz como nunca tinha estado. Aquela felicidade conseguia vencer os sentimentos de culpa pelo seu amigo ter sido traído pelos dois. O que Adão sabia naquele momento é que queria Luna na sua vida. Também queria Miguel, mas Luna era diferente, ele precisava dela na sua vida, precisava dela para se sentir ainda mais forte do que era. Naquele momento percebeu que não era só a força física que o poderia tornar poderoso, as pessoas que lhe queriam bem podiam também torná-lo mais forte. Ele nunca deixaria que algo de mal se passasse com a sua mãe ou com Luna, ele iria sempre protegê-las, ele precisava de as proteger.
Aqueles pensamentos fizeram a sua mente vaguear mais um pouco. Pensou no dia que se iria suceder. O dia da sua partida. Estaria ele preparado para o que ia acontecer a seguir. Não conseguiu impedir que a sua mente voltasse a reproduzir a voz de Luna antes dele a abraçar. Ela estava com medo de George. Provavelmente não seria a única. Provavelmente Artur e Santiago também o estavam, apenas tinham uma maior facilidade em escondê-lo. O velho era temido por todos. Quando a rapariga disse aquilo Adão também sentiu medo, tal como antes, quando vivia na Área X. Para não mostrar a parte fraca ele abraçou-a, mas tudo o que pensava na sua mente era que ela tinha toda a razão, o George era alguém que se devia temer. Quem era o monstro que deixava uma criança e um adolescente trancados do mundo em duas espécies de celas?
Nenhum deles estaria a salvo, essa era a certeza que Adão tinha. Apenas essa. O restante era uma incógnita para ele. A núcleo da Rebelião ia dividir-se. Mesmo não aparecendo nas transmissões para que a humanidade não tivesse medo dele por ser igual aos híbridos que espalhavam o terror ao redor do globo, o rapaz era ainda um dos pilares do grupo que ainda dava esperança às pessoas para um dia resgatarem a vida que tinham. No dia a seguir ele partiria novamente para o sitio que não queria de todo retornar, enquanto isso George retornaria à aldeia onde nascera e onde se encontrava a cura que ele tanto ansiava. Certamente algo iria acontecer naquele dia, uma das partes iria vencer uma batalha a outra iria perder. Adão temia que fosse a sua parte a derrotada. Ele tinha um grande peso nas suas mãos, ele era sem dúvidas aquele que tinha a missão mais complicada. Ele tinha de confrontar-se a si próprio. A si próprio não, a centenas e centenas iguais a si. Questionava-se como seria possível vencer assim? Derrotar uma dezena era difícil, centenas iria ser impensável.
Quase a esmorecer, pensou em Luna, pensou no momento que tinha terminado há poucos minutos atrás. Pensou que se perdesse a batalha ele não poderia ter mais momentos daqueles, que não podia conseguir conquistar Luna, que não iria construir laços tão fortes como o seu pai e Alina ou Joel e Lígia. Ele queria que Luna e ele tivesse algo tão sólido como os casais que conhecera e lhe serviam de exemplo. Ele gostava de Miguel, mas não podia desistir de Luna, ele tinha de lutar pelo que queria!
- Em que estás a pensar? – Perguntou Luna ainda a esfregar os olhos. Estava a acabar de acordar.
- Eu amanhã irei para a Área X, irei destruir a sala de controlo e irei voltar para casa feliz ao saber que o George já não consegue controlar nada, que perdeu, que nós ganhámos! Irei voltar a saber que te tenho à minha espera, que te tenho para sempre, que nunca te vou perder!
- Adão! – Exclamou a rapariga emocionada, voltando a beijar o rapaz.
Foram interrompidos pelo som do telemóvel do rapaz. Estranharam o fato de Santiago estar a ligar àquela hora da madrugada, então o rapaz apressou-se a atender. Ele queria falar com ele!

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.