Header Ads

test

Vale do Fim | Capítulo 31 (Parte 3)

 
Também disponível no Wattpad em http://goo.gl/uVVbsb 

Capítulo 31 - A Rebelião (Parte 3)

Chegaram a Vale do Fim ao final da noite. Santiago olhava ao seu redor. A aldeia não tinha mudado praticamente nada desde a sua última visita há dez anos atrás. Uma década depois de os ver uma última vez, ele conheceu de imediato Artur e Alina, que os aguardavam junto à porta da vivenda que naquele momento pertencia a Renato e à sua família. Santiago viu Adão, que estava um pouco mais atrás a correr para junto da sua mãe. Parou a apreciar o momento, o momento que ele ansiava que acontecesse no momento em que o tirou da Área X há cinco meses atrás. Eles iriam ficar juntos, pela primeira vez eles iriam ser uma verdadeira família e isso fazia-o sentir-se feliz. No fundo ele sempre se sentira culpado por tirar Adão há mãe, mas tinha de o fazer, August tinha pedido para o fazer para ver que tudo o que ele tinha dito sobre o seu pai era verdade. Infelizmente ele conhecia-o bem, eram irmãos gémeos, talvez conseguissem ler os pensamentos um do outro.
    Artur estava ainda reticente quanto à presença deles ali, isso era visível no seu comportamento. Cumprimentou-os, falou com eles, mas ainda tinha receio que tudo aquilo fosse mais um plano bem elaborado para George conseguir mais um sucesso em mais alguma experiencia louca que tinha magicado nos últimos tempos.
    A reação de Artur mudara no dia seguinte, quando George invadira três centros de poder em dois dos pontos principais da sociedade ocidental. Alina correu para a cave, assim como o seu marido, e todos assistiram novamente ao discurso de George, que, embora tivesse ocorrido uma hora depois, ainda merecia o tempo de antena de todas as estações televisivas, que através da televisão e sobretudo através das redes sociais. George tinha declarado uma guerra ao mundo, uma guerra muito diferente das que ocorreram até ali, uma guerra em que o armamento era constituído apenas por pessoas, sem armas, apenas seres controlados por ele.
    - Aquele rapaz?! Aquele rapaz é mais um clone do meu filho? – Perguntou Alina quando viu uma criança de dez anos ao lado de George durante o seu discurso.
    - Mais ou menos… eu não sei porque ele o levou para ali. Aquela criança é uma anomalia! – Declarou Santiago. – Uma anomalia a que ele chamou de Adam por ser… - Acabou sendo interrompido por Alina.
    - … por ser o nome do meu pai! Do irmão mais velho dele. Porque razão ele deu a versão inglesa do nome Adão se a todos eles ele chama pela inicial e uma outra letra do alfabeto. Porque ele deu este nome a ele? – Alina era, naquele momento, a porta-voz de um grupo de pessoas igualmente curiosas.
    - A historia do Adam começou há dez anos atrás! – Começou Santiago por dizer. – Quando a clonagem de híbridos começou, existiram algumas dificuldades. Três diferenças do normal, para ser mais preciso. Em todas as clonagens de híbridos, existiam dois bebés no mesmo feto. Um deles, o normal, estava morto, consumido pelo hibrido. Em três situações, numa delas, quando um Adam nasceu, a situação sofreu um reverso. Em duas das situações os dois bebés nasceram mortos e numa delas nasceu o Adam. Nós pensámos que ele era um hibrido à nascença, mas em poucos dias percebemos que não, ele era um jovem normal, ele não crescia à velocidade de um híbrido e não desenvolvera capacidades dele. Ele fora a única exceção! O George talvez ande com ele para ver se ele tem capacidades de o curar, capacidades de curar a doença.
    - Achas que aquele miúdo tem essa capacidade? – Perguntou Lígia curiosa.
    - Queres que seja sincero? – Perguntou Santiago retoricamente. – Existem mais probabilidades da menina que carregas no teu ventre ser portadora de tal dádiva. Ela foi concebida através de alguém que é portador da doença há anos, o seu organismo vai ter de criar defesas para ela sobreviver à doença dentro do feto, talvez por isso tenhas ficado doente. As mulheres que eram usadas na clonagem também o ficavam e os clones de hibrido não, mas por alguma razão, eles não ficavam doentes, o Adão também nunca ficou.
    - Queres dizer que o George está condenado?! – Perguntou Joel oportunamente. – Todos os que se encontravam na cave estavam extasiados e curiosos com tudo o que Santiago sabia.
    - Ele pensa que pelos clones serem igualmente híbridos eles vão curá-lo. E, efetivamente isso irá acontecer… nos primeiros dias. Eles são cópias, parecem exatamente o Adão, mas são mais fracos, o Adão e vocês são mais fortes que qualquer clone. Eles apenas são fortes porque a união faz a força, é impossível para nós derrotar centenas deles se vierem juntos, mas o caso muda de figura se eles não estiverem alinhados. Além disso o sangue deles não cura a doença tão bem como o do Adão. Cura, mas durante umas horas, durante um dia, no máximo dois, nunca o George terá mais de dois dias sem ter de fazer uma transfusão de sangue de um dos híbridos e isso vai fazê-lo matar vários. Ele vai matar elementos do seu exercito para se salvar a ele!
    - Temos de fazer algo! – Interveio Miguel que se manteve calado durante a maior parte dos esclarecimentos de Santiago.
    - Estou a tratar disso! O Joel conhece há bastante tempo o diretor de informação do mais importante canal de informação do Reino Unido. Ele vai ajudar-nos a fazer uma transmissão em direto para o mundo! Eu serei o porta-voz, mas quero-vos aqui, ao meu lado a todos vocês. Eu quero mostrar ao mundo que ninguém vai estar sozinho nesta batalha, nós os iremos ajudar! Nós vamos vencer esta batalha. Temos de vencer.
    - E como esperas vencer o George? – Perguntou Artur, um pouco sem esperança, com tudo aquilo que estava a acontecer.
    - Há uma forma, complicada, mas não impossível! Todos os híbridos são comandados através de uma sala de controlo na Área X. Eu próprio consegui destruir o sistema no dia em que mandei o Adão para aqui. Provavelmente desta vez será mais difícil, provavelmente o George colocou um nível de segurança mais elevado, mas só precisamos de a explodir, o sistema não ficará ativo se a sala de controlo for pelos ares! Sem essa sala de controlo o George não terá forma de controlar os híbridos. Sem os híbridos ele não tem como continuar a guerra, ele irá desistir, ele irá ser preso! O mundo voltará a ser algo pacifico. – Dizia Santiago, confiante em tudo o que dizia. Por dentro era diferente, ele sabia que nada daquilo era fácil, mas ele tinha de lutar, ele tinha de vencer, ele precisava que o mundo lutasse. Se desistissem, o mundo era de George, e o inferno descia à terra. Ele não podia deixar que isso acontecesse.
    Perto da hora de jantar, Joel recebeu uma mensagem. Era a altura, a altura de irem para o ar, para uma transmissão do computador deles para o mundo. Enquanto Santiago se encontrava sentado numa cadeira de madeira que tinham levado para a cave, os restantes elementos encontravam-se atrás dele, mesmo à sua beira. O único que não estava visível era Adão. Ele era igual aos outros clones, isso poderia gerar uma onda de medo pelas pessoas que vissem a mensagem, eles tinham medo da sua cara devido aos clones que tinham invadido centros de poder durante o dia. Adão compreendia, ele devia permanecer sozinho.
    - Povos de todo o mundo assistiram hoje a um evento bizarro. – Começou ele por dizer em português, seguindo para o inglês, francês e pelas mais diversas línguas que se falavam no mundo e ele compreendia. – Eventos como este infelizmente irão acontecer com frequência nos dias que se seguem, mas eu, todos os que aqui se encontram atrás de mim, e no fundo, todos aqueles que estão a ver-me neste momento nos diferentes polos do mundo, não vamos deixar que ele conquiste nada, não vamos permitir que ele nos controle como controla todos aqueles seres inocentes que ele moldou para gerar violência e medo! Nós somos a Rebelião e estamos aqui para declarar guerra contra George e os seus híbridos. Nós conseguimos! Eles podem ser mais fortes, podem não morrer tão facilmente como nós, mas unidos, nós venceremos qualquer obstáculo. Eles podem ser um exercito de milhares, mas se nos unirmos todos, nós seremos de biliões! Eles não nos podem vencer, nós somos invencíveis, todos nós juntos podemos vencer os híbridos! Nós seremos um só! – Disse Santiago nas mais diversas línguas.
    Quando a transmissão terminou todos os que estavam na cave o felicitaram. Ele começou a receber mensagens de várias pessoas ao redor do mundo. Will e Peter, dois jovens seguranças que se encontravam a trabalhar na Casa Branca e no Palácio de Buckingham foram alguns dos primeiros a mandar os seus relatos, e a dizer que podia contar com eles. O mundo estava unido numa das mais duras batalhas que aquele século iria assistir, a batalha contra os híbridos! Santiago sorriu ao ler cada uma das mensagens, escritas nos mais diversos idiomas. Não estava sozinho, todos queriam que o mundo voltasse ao que era dantes!

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.