Header Ads

test

Vale do Fim | Capítulo 28 (Parte 3)

 
Também disponível no Wattpad em http://goo.gl/uVVbsb 

Capítulo 28 - A Decisão (Parte 3)

  Joel estava cansado, não só daquele dia mas também do que a sua vida se tinha tornado. Quando saíram do avião ele e Lígia saíram da Área X e foram para casa. No dia seguinte tinham de voltar a estar lá, tinham de voltar a ajudar o seu líder em algo condenável, tão condenável como tirar o filho de uma mãe. Nos últimos dias tinham percebido que não valia a pena se rebelarem. Santiago tinha servido de exemplo. Se ele tinha esmurrado o filho à frente de todos, não teria problemas em acabar com ele ou com a sua mulher no mínimo piscar de olhos.
    Sentou-se na cama e olhou para o seu telemóvel. Foi até à lista de contactos e olhou para um número, foi aí que a sua mente recuou até umas horas atrás, até ao momento em que se encontravam com Artur.
    Artur estava atarantado. Os clones do seu filho, um falso amigo que desaparecera com George e uma secretária que os traiu também e que afinal era casada com esse tal amigo que fugiu. Era um pouco difícil assimilar aquilo tudo num curto espaço de tempo. Não era uma situação fácil, mas Joel precisava de o procurar, ele talvez fosse o único que pudesse ajudar a parar George.
    - Estás a querer dizer-me que o meu filho foi-nos tirado para que um cientista louco criasse um exército de clones? – Foi a primeira coisa que o seu antigo amigo disse quando eles terminaram de falar naquele beco onde se encontravam.
    - Dezenas de milhares, mais do que tu poderias contar numa hora! – Declarou, vendo surpresa no olhar dele. – Ele quer começar uma guerra, não sei quando, mas temo que começa a ter armamento suficiente para a iniciar. Ele pretende conquistar o mundo e como não conseguir com clones que lhe obedecem a qualquer ordem, que têm um tipo de força e velocidade fora do comum e que se forem protegidos nos órgãos vitais não morrem facilmente?! Tu, o Miguel e o Adão parecem-me os únicos que podem fazer alguma coisa. Vocês estão no mesmo pé de igualdade, têm as mesmas características, com uma diferença muito importante, não podem ser controlados. Tu e o Miguel não podem e isso mete medo ao George!
    Artur olhou para ele. Provavelmente nunca se tinha pensado como uma arma de guerra. Provavelmente nunca tinha imaginado o Projecto Híbrido como algo tão mortífero como aquilo. Ele não o censurava, no fundo ele nem sabia que o híbrido realmente existia, para ele o seu filho tinha morrido. Agora tinha percebido que havia milhares e milhares iguais a eles. Era algo difícil de uma mente processar.
    - E como poderíamos vencer milhares de clones? – Questionou Artur por fim. – Nós somos apenas dois, três se o Adão não estiver controlado mentalmente, como conseguiríamos vencer. Não somos super-heróis, somos apenas semi-hibridos. Se isso mesmo acontecesse era uma batalha condenada desde inicio.
    A falta de confiança de Artur fazia-lhe a ele lembrar da sua quando percebeu com o que estava a lidar. Ele também pensava o mesmo, haveria alguma forma de vencer o plano que George tinha em mente? Santiago tinha mostrado no dia anterior que sim. George parecia não ter tudo sob controlo como queria parecer e o facto de o seu filho ter conseguido hackear o chip de Adão e tê-lo entregue a Alina mostrou isso. Tudo tinha sido estudado ao mínimo pormenor pelo rapaz e por isso tinha dado tudo na perfeição. Para eles vencerem apenas tinham de estudar tudo, perceber onde ele iria começar. Perceber como aquela guerra que George pretendia começar se ia desencadear.
    - E como saberás disso? Como saberás como ele desencadeará a guerra? Estás com ele há tantos anos e ele nunca te contou sobre o que planeava fazer, pelo menos foi o que me disseste até aqui, que não sabias tudo sobre os clones! – Confrontou o seu antigo amigo.
    - Sim, tens razão, ele pouco me contou sobre a Guerra, mas ele conta-me sobre o Projecto Híbrido, ele disse-me que estava prestes a avançar para a segunda fase, acredito que se esteja a referir a isso. Por isso preciso de manter contacto contigo. Mas não pode ser directo, precisamos de um intermediário! O Santiago, ele sabia como a doença da Alina se encontrava através de um conhecido teu, o Renato, acho que é esse o nome dele!
    Artur olhou incrédulo para ele, talvez não estivesse à espera que mais um dos seus amigos o estivesse a vigiar. Joel compreendia-o, como seria possível viver uma vida em que se sentisse todos os dias vigiado? Ele também se sentia, sabia que na Área X havia sempre alguém a monitorizar os seus passos, isso foi visível com Santiago, não demorou um dia a ser descoberto logo depois de o Adão desaparecer. Sabia como era difícil confiar nele, mas Artur e Miguel eram a única esperança que Joel tinha, eles eram dois dos homens que podiam ajudar a salvar o mundo de uma guerra inigualável.
    Depois de muito pensar, Artur disse que iria falar com Renato, por isso Joel estava com o seu telemóvel na mão. Esperava incessantemente pela chamada que um número não gravado, o do colega de Artur, lhe poderia fazer entre as vinte e três e a uma da manhã.
    - O Santiago ligou-me! – Anunciou Lígia ao marido. – Quer falar sobre a inseminação, diz que arranjou um dador de esperma. – Percebeu que o marido estava um pouco nervoso e sentou-se ao pé dele. – Ele vai ligar, o Artur tem aquele perfil cliché de herói. O Renato vai ligar no último minuto do prazo.
    Assim aconteceu, para alívio de Joel!

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.