Header Ads

test

Duplo Clique | Sonhos em Movimento


O que assinala a diferença entre este reality-show e os demais são os próprios protagonistas, que se distinguem do estereotipo de concorrentes socialmente desacreditados de todos os outros concursos.

A dança em todo o seu esplendor voltou ao horário-nobre da televisão generalista com a estreia de Let’s Dance – Vamos Dançar, o novo programa de sábado à noite da TVI. Neste novo concurso tudo é uma aposta segura de audiências – da apresentadora aos jurados, passando pelos concorrentes –, e até a academia de dança parece ser uma boa justificação para continuar a apostar no famigerado género reality-show.

TVI e Endemol afirmam estar a produzir um programa original, quando na verdade Let’s Dance – Vamos Dançar, de original terá muito pouco. O concurso de dança, que procura pura e simplesmente eleger o “melhor bailarino de Portugal”, articula-se numa série de galas televisivas em estúdio, para os concorrentes prestarem provas e serem votados presencial e telefonicamente. A novidade, neste caso, é a existência de uma academia.

A academia de dança reúne todas as condições para os concorrentes melhorarem as suas performances individuais e coletivas enquanto bailarinos, servindo o propósito artístico e televisivo, e é assim um palco privilegiado do reality-show pouco assumido de Let’s Dance.

Foto: Luís Coelho
O que assinala, porventura, a diferença entre este reality-show e os demais são os próprios protagonistas. Dez jovens comuns, talentosos, determinados e ávidos de cumprir os sonhos das suas vidas nos palcos da dança, que se exprimem com autenticidade e urbanidade, distinguindo-se do estereotipo de concorrentes socialmente desacreditados de todos os outros concursos.

Outro ponto a favor de Let’s Dance – Vamos Dançar é a própria essência do programa, que mantém vários elementos de continuidade com os programas que a TVI tem vindo a exibir aos fins-de-semana. Fátima Lopes regressa ao grande entretenimento de sábado à noite, depois da condução de Pequenos Gigantes, e é uma aposta segura e confortável (sendo certo que outras apresentadoras, como Leonor Poeiras, podiam assumir tão bem o lugar).

Vítor Fonseca (Cifrão), Rita Pereira e César Augusto Moniz compõem, por sua vez, um painel de jurados mais do que competente para avaliar a prestação dos jovens bailarinos, sendo de notar que César Augusto Moniz já havia sido presidente do júri de Achas Que Sabes Dançar, da SIC, em 2010.
 
Foto: Luís Coelho

Let’s Dance – Vamos Dançar acaba por não surpreender excecionalmente enquanto concurso – porque continua a mostrar que em Portugal “ou cantas ou danças” –, mas isso também não lhe retira o potencial enquanto formato de entretenimento, porque é bem produzido.

Quer dancem jazz, tango ou hip hop, os dez concorrentes inicialmente apurados prometem mostrar porque querem fazer da dança a sua vida. E valerá a pena segui-los nessa constante busca pelo sonho.

Let’s Dance – Vamos Dançar,  para ver na TVI, aos sábados, depois de Jornal das 8.

Duplo Clique - 91ª Edição
Por André Rosa

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.