Header Ads

Fantastic Entrevista | Pedro Madeira


Nesta edição do Fantastic Entrevista estamos à conversa com Pedro Madeira, o jovem cantor que venceu o Festival RTP da Canção Júnior em 2006 e que, no mesmo ano, representou Portugal na versão europeia do certame. Dez anos depois, fazemos um balanço da carreira do intérprete de "Há Mais em Ti". 

A música sempre fez parte da tua vida. Quando é que percebeste que querias ingressar profissionalmente neste mundo?
Depois de 2006 era difícil fugir. As coisas começam a andar sozinhas e tens de decidir se entras ou sais do comboio. Depois da Eurovisão Junior tinha a certeza de que era isto que eu queria.

Em 2006, vences o primeiro Festival RTP da Canção Júnior. Como recordas este momento, dez anos depois?
Foi o princípio de tudo. É um momento preponderante na minha vida. Não só pela musica. Foi altura de começar a ter uma visão mais clara do que queria para o futuro.

Qual foi a sensação de representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção, na Roménia, no mesmo ano?
É incrível. Representar o país é um misto de responsabilidade com orgulho. São as pessoas que constroem a imagem externa de um país. Tens de estar consciente da tua missão enquanto português no mundo. 


Segues a tua carreira no mundo da música e, atualmente, és uma das jovens promessas do panorama nacional. O que pretendes transmitir ao público que ouve as tuas músicas?
Quero passar mensagens verdadeiras. Independentemente do estilo associado a cada tema posso garantir que o meu trabalho é criado através de um padrão de verdade.

Qual a tua fonte de inspiração para as letras das tuas músicas? Tens algumas referências nacionais ou internacionais?
A inspiração pode surgir vinda de qualquer lugar. A vida e o mundo onde vivemos têm o poder de nos presentear com “pedaços” de inspiração. 
  
Depois de três álbuns editados, qual o feedback que tens recebido do público? Este contacto é importante?
É muito importante. Os artistas precisam desse contacto. Tens de ir percebendo se as pessoas estão satisfeitas. Sinto que quem me segue se sente identificado com o projecto.

Escreves e compões a pensar no que o público quer ouvir ou naquilo que realmente gostas?
Tem de haver um equilíbrio. Na verdade, ao longo dos anos, as pessoas começam a ouvir um determinado artista porque gostam do estilo dele. Ou seja, de princípio tudo começa invertido. Não é o público que quer um estilo. O artista tem esse estilo. O público ou gosta ou não gosta. É certo que com o passar do tempo se tenta agradar a mais gente. Não desapontar.



"Há mais em ti” é o teu mais recente single. Que mensagem pretendes passar com este novo tema?
É um tema muito fresco. Uma mensagem simples e uma letra despretensiosa. Foi um tema que escrevi como se tivesse novamente 17 anos.

Que novidades tens preparadas para o próximo ano?

Muitas novidades. Ainda não posso adiantar nada. Vem aí muita música… (risos)

Passados estes anos, ainda te consideras “o rapaz do piano”?
Vou ser sempre. O piano deu-me quase todos os temas mais conhecidos da minha carreira. Temos uma ligação muito forte quando estou a compor.  



A indústria musical está a mudar no nosso país, uma vez que existem cada vez mais formas de ter acesso aos álbuns que queremos ouvir. Como vês o estado da música portuguesa nos dias de hoje?
A música portuguesa está melhor. Mau era se não fosse evoluindo. Temos artistas extraordinários. Grandes músicos. Pessoas que nasceram para isto. Depois temos grandes máquinas com produtos que não passam de produtos.

Qual é a tua maior ambição, a nível pessoal e profissional?  
Ser o melhor na minha área. Ser o melhor que eu conseguir. Isso implica que o público esteja sempre ao meu lado. Acredito que vamos sendo cada vez mais. Eu acredito na música que cria afecto e estreita laços.

Fantastic Entrevista | Temporada 8 -  Edição 6
Dezembro de 2016
Entrevista: Flávio Bártolo

Sem comentários