Top Ad unit 728 × 90

Últimas

recent

Vale do Fim | Capítulo 11 (Parte 1)

Também disponível no Wattpad em http://goo.gl/uVVbsb
Para ler, todas as segundas, quintas e sábados

Capítulo 11 - Mais Forte que o Amor (Parte 1)


A primeira eliminatória do campeonato nacional de ballet estava à porta e Eva não podia desperdiçar um minuto que fosse para estar preparada para tal desafio. Com o encontro marcado com os restantes sobreviventes no café de Joana para a tarde, só lhe restava a manhã. Ligou o rádio e começou a treinar. A música ambiente fazia-a ficar leve como uma pena. Tentava concentrar-se em todos os movimentos que tinha de fazer.
            Sem saber porquê os pensamentos do acidente voltaram à sua cabeça. Duas semanas depois do sucedido aquilo ainda estava fresco na sua memória e quando ia dar um pequeno passo para a frente correu inexplicavelmente até à parede que se encontrava a três metros de distância. Isso fazia-a temer pela prova. Iria estar certamente nervosa com a prova. O sistema nervoso aumentava a probabilidade das mutações genéticas actuarem mais rapidamente. Isso iria deitar tudo a perder. Iria ser desclassificada, e pior, iriam descobrir o seu segredo, pondo em perigo todos aqueles que estavam na mesma situação que ela.
            Descansou um pouco, tentando afastar os pensamentos negativos. Comeu uma peça de fruta e olhou para o telemóvel. Eram quase dez da manhã. Quando ia deitar o caroço da maçã fora ouviu a porta abrir-se. Era Viktor.
            - Como está a minha bailarina preferida? – Cumprimentou-a com um caloroso beijo.
            - Ainda bem que chegaste, estava novamente com aqueles pensamentos negativos e já fui contra a parede. Ao ver-te todos esses pensamentos evaporam instantaneamente. É bom ter-te ao pé de mim.
            - Eu irei estar mesmo na primeira fila da plateia e tu poderás ver-me lá para te sentires segura. Vais ser uma campeã no ballet, vais ganhar todos os prémios que houver para ganhar! – Incentivou-a.
            Viktor fora a melhor coisa que surgira na vida de Eva desde que o acidente ocorrera. Quando o salvara daqueles rapazes que lhe queriam fazer mal por ele ser inglês ela percebeu que ele era especial. Desde então eles não deixam de se comunicar nem por um minuto que seja. Ele compreende como ela se sente, afinal ela era parte de um projecto que ele ajudara a fazer. Sempre que ela se encontrava em baixo ele tentava alegrá-la. O mesmo acontecia quando era ele que não se encontrava feliz.
            Quando voltaram para a sala onde Eva treinava, Viktor sentou-se encostado à parede para a observar. Ela tornou a ligar a música e colocou-se em bicos de pés. Fez uma pirueta e deu um salto abrindo as pernas e esticando os braços. Continuou o seu treino por um longo período de tempo até que olhou para o rosto do seu namorado e percebeu que algo não estava bem. Ele estava pensativo, parecia apenas estar ali fisicamente porque a sua mente vagueava por longa distância.
            Parou de treinar. Desligou a música e sentou-se ao pé dele. Encostou-se o mais que conseguiu e os dois ficaram ali parados, olhando para o grande espelho que se encontrava à frente deles.
            - Não és só tu que sentes medo, Eva. Eu estou apavorado. Hoje à noite vou ajudar o August a fazer uma coisa e tenho receio do que pode suceder a partir daí! – Desabafou o jovem cientista. 
            - Porque não me contas? Porque não me contas por que razão tens andado estranho nesta semana que passou? Sabes que podes contar comigo nos bons e nos maus momentos, eu estou aqui para te ajudar e apoiar.
            - Não, desta vez é diferente, é o futuro que está em jogo! Algo que pode virar completamente a história. É algo que tem de ser feito, mas eu tenho medo! Medo de perder tudo o que construi até aqui.
            Eva abraçou-o tentando confortá-lo. Sabia que ele não lhe iria contar nada, ele tinha um grande respeito por August e não o iria trair, se ele não queria que ele dissesse nada a ninguém, ele não o iria dizer. Custava-lhe vê-lo assim desanimado, um pouco perdido, mas não podia fazer nada, ele não se iria abrir com ela, por mais que ela tentasse. Então não continuou a maçar o seu companheiro. Deu-lhe a mão e ficaram ali, só os dois, sem mais ninguém para os incomodar.
            Não deram pelo tempo passar, até que Eva olhou para o telemóvel e ficou sobressaltada.
            - Temos de ir almoçar Viktor, não tarda nada estão à nossa espera no café da Joana para a sessão semanal.
            - Temos mesmo que ir? Não estou com vontade de ver uma pessoa! Ela vai fazer-me lembrar o que vai acontecer esta noite.
            Mais uma vez sentiu-se tentada em que ele contasse o que o atormentava, mas não puxou novamente o assunto, em vez disso meteu-se em pé e agarrou-lhe o braço, puxando-o para que ele se metesse em pé.
            - É claro que tens de ir! Se tu não fosses quem ia desmistificar os nossos mistérios. Eu não os tenho, sempre que preciso de alguma coisa ligo para ti e sei que tu me irás ajudar, mas eles não têm essa sorte. Ouvi dizer que o Miguel está cada vez mais agressivo e o Edgar está cada vez mais isolado. Eles precisam de ajuda, a tua ajuda. Eles são jovens e é importante que sejam ajudados a tempo antes que cometam algum acto de loucura.
            - Convenceste-me! – Disse levantando, dando de seguida um beijo apaixonado. – Se não fosses tu como seria o meu dia? – Questionou-a fazendo-a soltar um sorriso.
 

Continua...
 Vale do Fim - Capítulo 11
Por Ricardo Reis

Vale do Fim | Capítulo 11 (Parte 1) Reviewed by Fantastic on 19:30:00 Rating: 5

Sem comentários:

All Rights Reserved by Fantastic - Mais do que Televisão © 2014 - 2015
Powered By Blogger, Designed by Sweetheme

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Fantastic. Com tecnologia do Blogger.