Header Ads

Miguel Ângelo: "A dança completa-me e sem ela não seria o mesmo"


Miguel Ângelo é um talento emergente na dança em Portugal, professor e coreógrafo profissional. O jovem bailarino, nascido em Lisboa, em 1992, deu os primeiros passos na dança aos cinco anos e hoje trabalha a nível internacional. Conheço-o aqui, em entrevista ao Fantastic Televisão. 

Quando era mais novo, Miguel dançava muito em frente ao espelho e copiava os artistas que via em atuações na televisão. Foi então que a mãe o inscreveu nas danças tradicionais da terra onde vivia, nas quais participou até aos 8 anos. “Aprendi bastante a nível rítmico, sobretudo a conviver em grupo com outros colegas da dança. Depois desisti das danças tradicionais e acabei por sair do grupo. Mais tarde acabei por descobrir o que mais amo, as danças urbanas”, revelou Miguel. 


Participação no videoclip "Hello" de Quentin Mosimann Officiel Feat. Amanda Wilson

“Desde muito pequeno que gosto de música, e graças a influências da minha mãe, fui desenvolvendo o gosto pela dança em si. Lembro-me de dançar muito com ela e de até fazermos um género de concursos na sala para ver quem conseguiria dançar melhor perante uma música qualquer”, contou-nos o jovem residente na Lourinhã. 

Mas se ser bailarino é hoje em dia uma realidade na vida de Miguel, a verdade é que o facto de ser rapaz faz com que perceba melhor do preconceito que ainda hoje existe contra os rapazes dançarinos, apesar de “já não ser tanto como há uns anos atrás”. Miguel acha que ainda estamos num país que tem o seu próprio tempo para se adaptar. “Os tempos mudam, as mentalidades mudam. Recordo-me de ouvir de muitos amigos, colegas e até mesmo familiares que comentavam "ou entras no grupo de dança da terra, que é a nossa tradição, ou tentas o conservatório nacional de bailado", que era muito difícil e que em que os poucos rapazes que dançavam eram considerados homossexuais”, revelou.


DANCE CLASSES - FOR ALL MY STUDENTS BY MIGUEL ÂNGELO

O jovem acha que “mais partilha, conhecimento das culturas, socialização, eventos de dança e projetos inovadores” são formas de acabar com o preconceito. A formação em jovem ou adulto é também, segundo Miguel, fundamental “para quem queira seguir dança e também para quem queira conhecer um pouco mais da cultura existente”. 

Recentemente, Miguel participou no programa Achas que Sabes Dançar?, da SIC, um dos formatos dedicados à dança mais vistos no nosso país nos últimos tempos. Foi uma das melhores experiências da sua vida, uma vez que "o formato original do SYTCYD é tudo”. O também professor recorda os elogios e frases que recebeu na altura. “Tive bastantes privilégios só no facto de participar, muitas amizades e alguns conhecimentos com o esforço do meu trabalho, que me lançaram, e me deram a ver com de outra forma, com um lado mais profissional”, acredita, deixando “um obrigado ao Cesar Augusto Moniz e à Marina Frangioia pelas frases boas e construtivas”.

Depois do programa, fez outras participações em televisão, que considera ser ”sempre um meio de divulgação importante no sentido em que chega de tal forma rápido a todo o lado”, sobretudo "quando queremos dar a conhecer que o conseguimos fazer”.

 TIMBALAND - HANDS IN THE AIR | SHOWREEL ACT LIVE BY MIGUEL ÂNGELO

Para além da dança, Miguel Ângelo também já fez figuração no filme As Linhas de Welligton, uma “outra experiência bombástica”, pois contracenou com “excelentes atores e atrizes portugueses" [Nuno Lopes, Soraia Chaves, Marisa Paredes, José Afonso Pimentel, Maria João Bastos, entre outros] e internacionais [como John Malkovich, Jemima West e Mathieu Amalric]”.

E a representação é uma área que gostaria de explorar mais, de preferência conciliando com a dança. “Um dos meus grandes sonhos seria participar em filmes/programas mundiais de dança e também adorava participar em publicidades, novelas, programas televisivos nacionais”, diz.

Miguel foi ainda júri voluntário no Desporto Escolar, da RTP2 e já representa Portugal nas Actividades Rítmicas Expressivas desde 2008. Considera que o desporto na escola "é fundamental para quem não tem possibilidade económica e mesmo disponibilidade" para ir a ginásios e por "tudo o que os alunos possuem nas escolas ser oferecido gratuitamente”. Para Miguel, assistir a representações e representar Portugal é um ”privilégio”, por isso deixa uma mensagem aos mais novos: “Não desistam do Desporto Escolar apesar de ser cada vez mais difícil nos dias de hoje suportá-lo!"


Participação no programa Curto Circuito - "Mas o que vem a ser isto?"com Fubu Beatbox

Outros dos vários trabalhos do dançarino foi a participação na rubrica "Mas O Que Vem A Ser Isto?", do Curto Circuito, na SIC Radical. O convite surgiu através de amigos. “Foi outra excelente oportunidade para mim. Seja qual for o programa ou o evento que englobem a dança, eu faço de coração e dou sempre o meu melhor”. 

Para além disso, “conhecer pessoalmente toda a equipa fantástica, produção, os apresentadores (Carolina Torres, Maria Botelho Moniz e o João Paulo Sousa)” foi bastante bom. “Tive bons elogios do João Manzarra, quem eu admiro bastante. Sinto-me mais que concretizado pelo que faço. Em relação ao papel que desempenhei, fez-me chegar ao final do programa, e isso para mim foi fantástico”.


 Pariticpação no videoclip de David Carreira feat. Snoop Dogg, "A Força está em nós"

Lucenzo, Snoop Dogg, Dry ou David Carreira foram alguns dos artistas com quem já trabalhou e diz ser uma área que ama bastante. “Acho um sonho a participação em videoclips/concertos ao vivo com artistas, o público transmite-nos uma energia tão grande, que sentimos também através dos outros artistas. Gostava de poder trabalhar para artistas mundiais, como Eminem, Jay-Z, Beyoncé, Florida, Chris Brown, T-pain, Usher, Ciara, Will Smith, Madonna e muitos outros excelentes artistas”, conclui.

“A dança é a minha paixão e é muito mais que isso, a dança completa-me e sem ela não seria o mesmo. Daqui a alguns anos imagino estar fora do país a partilhar com todos o que faço e o que fiz ao longo da minha carreira na dança", confessa. Ter o seu próprio espaço ou trabalhar para "excelentes nomes e locais internacionais", mostrando ao mundo "que quem dança é mais feliz" são os seus maiores desejos, conta-nos Miguel Ângelo, garantindo que a dança fará sempre parte da sua vida. 

Sem comentários